Como viajar com seu cachorro de carro, ônibus e avião?

Como viajar com seu cachorro de carro, ônibus e avião?

Oi pessoal!

Muita gente nos pergunta quais são as regras para se viajar de carro, ônibus e avião com um cachorro ou gato. Por isso, resolvi fazer esse post para responder essas dúvidas e dar algumas dicas importantes sobre viagem com nossos peludos. Vamos lá?

Viajando com seu pet – o que é preciso saber?

Antes de viajar com o seu cachorro ou gato, seja de carro, ônibus ou avião, é importante que você converse com seu veterinário. O ideal é que ele examine seu pet para ter certeza de que está tudo ok com a saúde dele. Outro ponto a ser conversado é sobre eventuais enjoos, muito comuns em viagens. O profissional poderá indicar medidas preventivas para que seu bichinho não passe mal durante o trajeto.

Agora, uma dica de petlover para petlover: se você está pensando em viajar com o seu pet, é importante que você responda mentalmente algumas perguntas como: meu cachorro/gato já andou de carro? Se sim, ele gosta da experiência ou fica extremamente estressado/agitado? Ele está acostumado com bolsas e caixas de transporte? Meu pet se sente à vontade em locais estranhos com pessoas diferentes? Ele é um pet sociável e que irá curtir a viagem tanto quanto eu? Meu pet é amigável com outros pets e outras pessoas? Meu pet apresenta comportamentos indesejáveis e que podem acabar incomodando outras pessoas (como latir/miar excessivamente, fazer suas necessidades em qualquer lugar, destruir objetos, etc)?

A ideia de levar nosso bichinho com a gente em viagens é maravilhosa, mas ela só será realmente maravilhosa na prática se nosso companheirinho estiver tão confortável com a situação quanto a gente. Se você avaliar que talvez ele acabe não curtindo tanto a viagem ou possa apresentar alguns comportamentos indesejados, talvez seja melhor repensar sua viagem com seu pet, caso contrário, a viagem pode acabar não sendo uma experiência bacana nem para você, nem para ele. No caso de viagem com gatos, é importante ter ainda mais cuidado, já que os felinos raramente se sentem seguros em ambientes desconhecidos, o que pode acabar resultando em um estresse enorme para o gatinho, afetando sua saúde.

Além disso, a gente tende a achar que nosso pet estará melhor na nossa companhia, mas, às vezes, os bichinhos podem preferir menos agitação. Se esse for o caso, clique aqui e veja a dica que eu dei sobre hospedagem para cães.

Bom, agora vamos às dicas!

Viajar de carro com cães e gatos

A forma mais segura de se viajar com cães e gatos, é garantindo que eles estão presos. Assim, em casos de freadas bruscas ou colisões, os bichinhos estarão protegidos. Para cães até 10kgs, uma ótima opção são os assentos. Eles ficam presos pelo cinto de segurança do carro e o animal fica preso ao assento pela coleira. assento para cachorro viajar

Para cães que pesam mais de 10kg, o cinto de segurança para cães é o ideal. Ele irá garantir que o cachorro ficará seguro e confortável durante a viagem.

cinto de segurança para cães

Outra opção, e essa é ótima também para gatos, são as caixas de transporte. As caixas de transporte e bolsas de transporte estão disponíveis em diferentes tamanhos, formatos, cores e materiais. No entanto, se seu bichinho não estiver acostumado a utilizá-la, é importante que você introduza a caixa ou bolsa de transporte no dia a dia do animal antes da viagem. Passeie algumas vezes com o pet dentro da caixa e a deixe pela casa para que ele possa se acostumar com ela. Assim, ele não se sentirá desconfortável e com medo na hora de viajar dentro da caixinha.caixa de transporte

Durante a viagem, é importante que você faça diversas paradas para que seu pet possa beber água, fazer suas necessidades e gastar um pouco de energia. Além disso, devemos nos atentar para a temperatura de dentro do carro. Se a viagem acontecer em um dia de sol, não hesite em ligar o ar condicionado ou abrir os vidros para que a temperatura não fique tão alta.

Viajar de ônibus com cães e gatos

Para viajar de ônibus com o seu pet, você precisará:

  • Apresentar um atestado veterinário que comprove as boas condições de saúde do animal
  • Transportar o pet em uma caixa de transporte

Além disso, é importante contatar a empresa antes da data da sua viagem para tirar todas as dúvidas. Isso porque algumas empresas possuem normas específicas como, por exemplo, a obrigatoriedade do animal ocupar um assento ao lado de seu dono. Algumas empresas exigem que o dono compre a passagem do animal para que ele ocupe o assento ao seu lado. Outras, não possuem essa regra e permitem que o animal fique no colo do tutor (dentro da caixinha de transporte, claro). Ainda, é importante contatar a empresa para avisar que você estará com seu bichinho de estimação, já que, normalmente, existe um número limite de pets que podem ser transportados por viagem – e caso esse limite tenha sido atingido, você provavelmente não poderá embarcar naquele ônibus.

Viajar de avião com cães e gatos

Para viajar de avião com seu cachorro ou gato, é importante estar atento às regras da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e, também, às regras da companhia aérea com a qual você irá viajar, pois cada companhia adota regras próprias.

No caso de vôos nacionais, as regras básicas e adotadas por todas as companhias aéreas são:

  • Atualizar todas as doses das vacinas do seu pet;
  • Apresentar atestado veterinário;
  • Avisar a companhia aérea com antecedência de que viajará com seu animal;
  • Trasportar seu animal em uma caixa de transporte resistente, com ventilação, que irá acomodar seu pet com certa folga

Para que seu pet viaje na cabine junto com você, ele precisa pesar menos de 10kg com a caixa de transporte (essa regra pode variar de acordo com a companhia). Se ele for viajar no porão da aeronave, não se esqueça de identificar com uma plaquinha tanto o seu pet, quanto sua caixa de trasporte.

Uma observação importante: algumas companhias aéreas não transportam cães de determinadas raças. Portanto, por mais que seu cão esteja com as vacinas em dia e com atestado de boa saúde, ele poderá ser impedido de viajar caso sua raça esteja entre as proibidas daquela companhia.

Em vôos internacionais, é extremamente importante que você, além de contatar a empresa aérea, se informe sobre as regras do país de destino. Isso porque alguns países possuem regras específicas (como a necessidade do animal passar pelo período de quarentena antes de entrar no país) que podem acabar impedindo que você desembarque com seu pet. Além disso, é importante se informar sobre as especificações da caixa de transporte na qual seu animal viajará. Ou seja, ele não poderá viajar em qualquer caixa de transporte, por isso, antes de comprar uma, verifique se ela atende tais especificações

Coceira em cães: seu cão se coça mais do que o normal?

Coceira em cães: seu cão se coça mais do que o normal?

Comer, beber água, dormir, brincar e se coçar: essas são algumas das atividades que nossos cães costumam fazer todos os dias. No entanto, se seu cachorro está se coçando mais do que o normal, esse pode ser um sinal de que algo está errado. Por isso, hoje, vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre coceira em cães, como causas e como identificar se seu cachorro está se coçando mais do que deveria. Vamos lá?

Será que meu cachorro está se coçando mais do que o normal?

Algumas coçadinhas rápidas durante o dia são normais. Assim como nós nos coçamos às vezes, nossos cães também sentem essa necessidade. Agora, se seu cachorro anda se coçando com mais frequência e por um período de tempo mais longo, aí algo pode estar errado. Se ele apresenta lesões, queda de pelo em alguma região (em especial naquela em que coça), ou usa a boca para se coçar, não restam dúvidas: ele precisa fazer uma visita ao seu veterinário de confiança.

cachorro se coçando

O que pode causar coceira excessiva em cães?

As causas podem ser diversas. Abaixo, listamos e explicamos as mais comuns:

Pulgas e carrapatos

Apesar de não ser novidade para os donos de pet, achamos importante colocar as pulgas e os carrapatos nessa lista. Se a coceira é provocada por esses parasitas, basta tratar com antipulgas e pronto, certo? Mais ou menos. Na verdade, muita gente acaba aplicando o antipulgas e carrapatos (veja opções aqui) apenas quando o cachorro está passando por uma infestação, mas o ideal é fazer a manutenção desse medicamento conforme a embalagem. Ou seja: se a dose do antipulgas está atualizada, nosso cachorro não corre risco de infestação, e o melhor é sempre prevenir!

Além disso, a picada desses parasitas pode, ainda, transmitir doenças mais sérias, como a doença do carrapato, por exemplo.

pulgas e carrapatos

Alergias

As alergias são grandes responsáveis por coceira em cães. Confira as causas mais comuns de alergia em cães:

  • Alimentos (alguns alimentos e mudanças na ração podem causar alergias);
  • Pulgas (a saliva das pulgas pode desencadear uma reação alérgica em alguns cães. Prevenir o aparecimento desse parasita é a melhor solução!);
  • Plantas (algumas plantas podem ser responsáveis por provocar alergias no nosso cachorro. Veja aqui uma lista de plantas tóxicas que não devemos ter em casa);
  • Dermatite de contato (componentes de produtos, em especial os químicos, podem causar alergias);

Sarna

A sarna é uma doença de pele contagiosa causada por um ácaro. Não existe uma vacina que previna a sarna, mas medidas curativas como shampoos específicos, pomadas e medicação podem ser adotadas pelo médico veterinário. Se seu cachorro está apresentando uma queda de pelo nas regiões dos olhos, boca ou patas, pode ser sarna.

Outros fatores

Infecções na pele do cachorro e seborreia (tanto seca quanto oleosa) também podem causar coceira.